Prefeitura Publica Decreto Que Declara Risco De Emergência Hídrica E Define Ações Para Garantir Uso Prioritário Da Água, Em Trindade
16/07/2021 15:18 em Novidades

 

Primeiro município goiano a editar decreto de emergência hídrica, Trindade proíbe que caminhões-pipa retirem volumes do lago do Parque Lara Guimarães, que já enfrenta rebaixamento em 1,5 metro em relação ao nível normal. Decreto assinado pelo prefeito Marden Júnior reitera “importância do envolvimento da comunidade trindadense para que, lá na frente, não falte água para todos”. Veja 10 dicas para economizar”

 

Trindade é primeira cidade de Goiás a publicar decreto municipal este ano declarando risco de emergência hídrica, segundo levantamento da Empresa de Saneamento de Goiás (Saneago), para a qual, a decisão vem em boa hora. O motivo é a estiagem, que deve seguir até o final de setembro, somando cerca de 90 dias sem chuvas ou com pouco volume, aliado ao consequente rebaixamento das fontes de abastecimento do município de Trindade.

O cenário levou à edição do decreto municipal 2.456/21, publicado na quarta-feira (14.07) que, além de declarar risco de emergência hídrica, define ações para garantir o uso prioritário da água em Trindade.

Como primeira medida, a prefeitura já proibiu que caminhões-pipa retirem água do lago do Parque Lara Guimarães, serviço que tem autorização municipal, mas que está afetado pelo período de estiagem.

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Trindade já identificou o rebaixamento do volume de água do lago em 1,5 metro em relação ao nível normal. A determinação municipal reflete cuidados para evitar a situação que muitas cidades brasileiras já vivem este ano, com uma necessidade real e imediata de racionamento de água.

Tanto é que, nacionalmente, foi feito no fim de maio um alerta de emergência hídrica atingindo Goiás e mais quatro estados por órgãos da União que formam o Sistema Nacional de Meteorologia, pela primeira vez na história do SNM.

O decreto de Trindade foi assinado pelo prefeito Marden Júnior que reitera a “importância do envolvimento da comunidade trindadense para que, lá na frente, não falte água para todos”.

Multas Os fiscais da prefeitura poderão aplicar multa de 50 UFMT até 5 mil UFMT (de R$ 183 a R$ 18.300 em valores de 14 de julho) para reprimir os infratores. Esse grupo inclui quem for flagrado cometendo abusos, em desobediência aos limites que forem estabelecidos na vigência do decreto, ou fazendo mal uso de água para lavar calçadas ou carros com mangueiras, por exemplo.

O decreto de situação de risco de emergência hídrica determina que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Trindade fará o monitoramento dos níveis da bacia do Ribeirão Arrozal, que abastece Trindade com água potável, além de acompanhar o volume consumido pelos grandes produtores e consumidores rurais que captam água, e fazer estudos para garantir o consumo humano no futuro.

Para esses objetivos, a secretaria foi autorizada a celebrar convênio com a Saneago. Os termos da parceria foram tratados na manhã de quinta (15/07) entre o prefeito Marden, o titular da Secretaria, Roberto Badur, e o gerente regional da Saneago, João Nogueira.

O gerente enfatizou que Trindade saiu na frente, publicando o decreto “no momento oportuno, antes da crise hídrica acentuar”. Ele e o prefeito destacaram que as estratégias municipais e da Saneago visam evitar um quadro de desabastecimento, a exemplo do ocorrido em anos anteriores, como em 2017, por conta de forte seca.

O artigo 3º do decreto prevê a possibilidade de restrição da captação direta de água na Bacia do Arrozal para atender agropecuária, indústria, e outras atividades, privilegiando o consumo humano e a dessedentação animal.

Se o cenário se agravar, o artigo autoriza que seja solicitada à Secretaria Estadual de Meio Ambiente suspender outorga e captação de água, ou estabelecer racionamento durante o período de risco de emergência hídrica.

As medidas tentam contornar o risco de racionamento de água, em Trindade. O quadro de rebaixamento no nível de água do lago do Parque Lara, por exemplo, é uma situação que, segundo o secretário de Meio Ambiente, Roberto Badur, já atinge outros reservatórios, além de poços profundos e as fontes que formam a Bacia do Ribeirão Arrozal.

O cenário atual justifica os alertas das autoridades de que o município caminha para o racionamento de água, ao solicitar da população todo o envolvimento necessário para minimizar os danos, inclusive sem prejudicar as medidas sanitárias contra a pandemia de Covid-19.

“No ritmo de pouca chuva, com o consumo atual mantido, podemos registrar falta de água no final de agosto”, adverte o secretário. A íntegra do decreto pode ser acessada no site www.trindade.go.gov.br na sessão do Diário Oficial, edição 2.396, de 14 de julho de 2021, página 28.

Saiba economizar água Nos últimos anos, além de um regime pluviométrico menor, estados como Goiás sofrem com o ressecamento do solo, de forma que há redução da absorção da água nos lençóis freáticos, incidindo automaticamente nas bacias hídricas e no abastecimento público.

No Estado, já foi publicado o decreto 9.872 em 26 de maio último, declarando situação de risco de emergência hídrica nas bacias hidrográficas do Rio Meia Ponte e do Ribeirão Piancó.

Trindade só conta com a Bacia do Arrozal e com poços profundos, utilizados para captação pela Saneago, responsável pelo abastecimento de água tratada para a população do município.

O trabalho de mobilização e conscientização para evitar ou minimizar o racionamento, estimulando o uso racional de água, também está previsto no decreto. Os alertas começam no seguinte sentido: Trindadense, se você não economizar água agora, não vai ter depois.

 

Veja 10 dicas para economizar água

1 - Evite lavar o carro com mangueira. Racionalize e use balde.

2 - Cada 15 minutos de mangueira ligada consomem 180 litros de água, em média.

3 - Junte a roupa suja para lavar de uma vez.

4 - Reutilize a água da máquina de lavar roupas para lavar garagem e calçadas.

5 - Desligue o chuveiro enquanto estiver se ensaboando (economia de 132 litros de água).

6 - Feche a torneira na hora de escovar os dentes e economize 85% da água que gastaria.

7 - Vigie torneiras abertas e vazamentos - o prejuízo não é só seu.

8 - Se pressionada por seis segundos, a descarga do vaso sanitário consome de 6 a 10 litros de água. Aperte só o necessário então.

9 - Cubra a piscina e tampe a caixa d´água para evitar a evaporação.

10 - Instale recipientes para coletar água da chuva. Na seca, vai ser muito útil.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!